Uma Aventura

E outras coleções

Uma Aventura em Viagem

Ana Maria Magalhães e Isabel Alçada

Arlindo Fagundes

Editorial Caminho
Coleção , nș4
304 pp
sob consulta

Resumo/Apresentação

Um telegrama deixa o grupo em polvorosa: convite para irem todos à Escócia. Ao princípio nem queriam acreditar, mas era verdade e lá foram nas nuvens diretos para o castelo de Melrose. E a aventura começou logo a um ritmo alucinante: histórias de fantasmas, passagens secretas, gente suspeita, cavalos envenenados, uma biblioteca capaz de causar arrepios a qualquer um. Apesar do susto permanente, montaram vigilância noturna, foram sugados para para zonas do castelo há muito esquecidas e quase morreram para descobrir a verdade.


(ISBN) 9789722100038

Excerto do Livro

«O João nem podia acreditar! O secretário! Que confusão... Afastou o reposteiro e, hesitante, dirigiu-se ao rodapé experimentando carregar por ali à toa. "Ah! Cá está!", pensou, ao sentir uma pequena saliência de encontro à polpa dos dedos. Fez uma ligeira pressão e o painel abriu-se com um "rassc" do roçar da madeira. "Vou inspeccionar isto bem... Hei-de descobrir tudo!" Mas ficou bastante descoroçoado, ao verificar que ali não havia nada de especial. Era apenas um vão, onde cabia uma pessoa ou talvez duas, de cócoras. E estava vazio. Pelos vistos, o secretário de Lord Spencer utilizava aquele sítio para guardar qualquer coisa que tinha acabado de ir buscar. Seria veneno para os cavalos? "Esta droga poder-se-á abrir e fechar do lado de dentro?" Procurou melhor, tateando, e encontrou uma mola no canto esquerdo. "Deve ser aqui, vou experimentar..." Acionou a mola, retirando o braço rapidamente. O painel deslizou e fechou-se. "Bom, está provado... isto abre e fecha tanto do lado de fora como do lado de dentro!" Pelo corredor ouviram-se passos apressados. O João, sem pensar duas vezes, abriu o painel e escondeu-se lá dentro, exatamente na altura em que os outros entraram, esbaforidos. — João! — João! — Onde estás? — Querem ver que se foi embora? — Talvez estivesse farto de estar sozinho... — Mas tínhamos combinado... — João... — Se estás escondido, aparece! — João! Que chato... - resmungava a Teresa, levantando os reposteiros e espreitando debaixo de mesas e cadeiras. — Será que foi à nossa procura? Um queixume abafado gelou-lhes o sangue nas veias. — Que é isto? — Ouviste? Pedro, lívido, olhou primeiro para a estante e depois para o Paul. — Foi dali?... — Uiiiii... Aiiiii... — É daqui! — disseram todos ao mesmo tempo, aproximando-se da secretária. Uma pancadinha na madeira... duas pancadinhas na madeira... — Vou mas é cavar daqui para fora! — rosnou o Chico. Mas perante o olhar esbugalhado de todos, abriu-se um painel de madeira e apareceu o João, às gargalhadas. — Que susto, hã? — Idiota! — berraram as gémeas.»

 

(in Uma Aventura em Viagem, pp. 80-81)